Quarta-feira, 18 de Abril de 2007

Açores

Foi no ano de 2001. Realizou-se uma das melhores actividades de sempre do agrupamento 1053 de Alferrarede. Estávamos a chegar ao verão, altura em que se faz sempre um acampamento mais longo e normalmente mais longe. Neste ano excederam-se todas as expectativas e partimos rumo aos açores para uma mega - actividade num dos sítios mais bonitos de Portugal: os Açores.

        

     

                                                              

 

 Éramos cerca de cem, entre chefes e elementos das secções. Mal chegámos aos Açores a animação e alegria foi geral. Deixámos as malas na sede dos escuteiros de Ribeira Quente (onde ficámos acantonados) e partimos à aventura. Esperava-nos uma semana inteirinha de actividades das mais variadas. Desde caminhadas (uma delas até às furnas onde depois comemos um belo cozido à portuguesa), a construções, jogos de vila, idas à praia, visitas a fábricas, a monumentos e locais emblemáticos até a alguns banhos de mangueira e água fria, fizemos de tudo um pouco. Infelizmente, a minha memória já não me permite recordar com detalhe todas estas actividades mas de uma coisa eu lembro-me: a animação, alegria, entusiasmo, a brincadeira eram estados permanentes. Foi uma das melhores actividades de sempre.

            

 

                                        

 

 

Contudo, como tudo o que é bom acaba depressa, rapidamente nos vimos no nosso fogo - de - conselho já a recordar as peripécias da semana. Desde a história da açorda, cheia de espinhas e que ninguém conseguiu comer, aos belos banhos de sol na praia passando pelo típico sotaque açoriano, tudo foi relembrado no fogo-de-conselho que fizemos em conjunto com o agrupamento de escuteiros local. (Ainda sem sabermos da última peripécia que só aconteceria no dia do regresso).


Por fim, chegou o dia de fazer as malas e vir embora. Fizemo-lo já com alguma saudade e sempre com o grito de grupo dos exploradores (inventado naquele acantonamento) no ouvido:

"Aqui vou eu neste grupo

Aqui vou eu sempre alerta

Da cidade vou bazar

Vou para o campo acampar"

 

                               

Mas, as nossas aventuras não paravam por ali. Quando chegámos ao aeroporto fomos informados de que havia um problema na pista de descolagem e não poderíamos levantar voo. Isto fez com que fossemos obrigados a pernoitar no aeroporto, o que não foi de todo um problema pois como bons escuteiros que somos logo nos juntámos e cantámos, dançámos, aproveitando os últimos momentos antes de regressarmos a Alferrarede.

          

                                    

Apesar de todos estes contatempos foi uma viagem maravilhosa da qual sempre vão ficar boas memórias!

 

___________________________________________________________________________

Aproveito agora para deixar a aqui o meu agradecimento a todos os que colaboraram na construção deste blog e ajudaram à sua permanente actualização. Um agradecimento em especial ao Bruno pela iniciativa, persistência, insistência e pela imaginação que permitiu manter o blog sempre actualizado. Obrigada

 

Canhotas,

                    Joaninha 

 

 

 

 

 

posted by joaninha às 18:45
link do post | comentar | favorito
10 comentários:
De Rover_dedicado a 19 de Abril de 2007 às 18:09
Tal como a Joana referiu este foi sem dúvida um dos maiores acampamentos em que o agrupamento de Alferrarede teve o prazer de organizar ou participar e foi também para mim um privilégio poder participar (na altura como explorador).

Também por isso tenho algumas imagens guardadas no meu baú das recordações e que me fazem muitas vezes recordar os locais por onde passámos, onde fizémos actividades e onde desfrutámos da beleza paisagística açoriana...algo a um dia repetir =D

Agora passando ao que mais importante, em primeiro lugar olá Esteves e obrigado por leres e ficamos elogiados por gostares =D
No entanto, nenhum dos bloggers se lembra de quem serás (=S) e visto que estavas na IIª na altura (pelo que referes no comentário) algo de mais estranho ainda se torna, pois nós também por lá andávamos. Por isso, se te quiseres apresentar num outro comentário ou mail po agrupamento é sempre bom recordar os amigos e todos aqueles que com nós privaram no escutismo....


PS: quanto à jangada foram os exploradores que construiram, mas os pioneiros que a destruiram na primeira vez que se fizeram ao mar com ela...=x
De Teresa a 25 de Abril de 2007 às 22:14
Também sou escuteira do agr . 1053 e também tive a sorte de ir nesse verão para os Açores.

A já falada história da jangada tem a meu ver algo a alterar. Creio, na verdade, que afinal foram os pioneiros que percorreram uma distância de cerca de 8-10 km, para dar com o local onde se encontravam as canas de 'bambu', que, como se devem lembrar, foram utilizadas para a construção da jangada.

De facto, não me recordo dos exploradores terem providenciado quer o transporte das canas, quer a construção da dita 'obra'.

Se não me falha a memória a jangada foi ao mar, um pouco instável confesso, mas com capacidade para 2 a 3 pessoas. Foi uma boa tentativa, que atingiu de certa forma os resultados pretendidos.
[Error: Irreparable invalid markup ('<br [...] <a>') in entry. Owner must fix manually. Raw contents below.]

Também sou escuteira do agr . 1053 e também tive a sorte de ir nesse verão para os Açores. <BR><BR>A já falada história da jangada tem a meu ver algo a alterar. Creio, na verdade, que afinal foram os pioneiros que percorreram uma distância de cerca de 8-10 km, para dar com o local onde se encontravam as canas de 'bambu', que, como se devem lembrar, foram utilizadas para a construção da jangada. <BR><BR>De facto, não me recordo dos exploradores terem providenciado quer o transporte das canas, quer a construção da dita 'obra'. <BR><BR>Se não me falha a memória a jangada foi ao mar, um pouco instável confesso, mas com capacidade para 2 a 3 pessoas. Foi uma boa tentativa, que atingiu de certa forma os resultados pretendidos. <BR><BR class=incorrect name="incorrect" <a>Mais,fiquei</A> um pouco triste quando me deparei com esta informação, afirmada por um 'verdadeiro' escuteiro. Já os Lobitos tem como máxima " O Lobito é verdadeiro", algo que na minha opinião deve ser seguida não só por eles, como também por todos nós escuteiros. <BR><BR class=incorrect name="incorrect" <a>Ps</A> : Lembro que esta opinião é 100% parcial, já que na altura pertencia aos pioneiros. Penso que deveria esclarecer esta situação, sem querer gerar qualquer tipo de conflito. <BR><BR>Sem mais me despeço, <BR><BR>Teresa -Caminheira
De Rover_dedicado a 26 de Abril de 2007 às 23:49
Embora tivesse uma ideia completamente diferente do que tinha acontecido, e já que não és a única que afirma terem sido os pioneiros a fazer a jangada dou a mão à palmatória e não me importo nada de admitir o meu erro (acima de escuteiro sou humano e a minha memória também é bastante falível =X). Peço então desculpa aos pioneiros da altura pelo lapso histórico cometido, mas efectivamente tinha a ideia errada de termos sido nós a fazer a jangada, ou pelo menos a fazer alguma coisa parecida, mas algo que já esclareci com a Teresa e pelos vistos estava mesmo 100% enganado ou errado como preferirem...

E como o escuta é honrado ( ; aqui fica o meu pedido de desculpas e a rectificação devida

Comentar post

Quem somos

Procure...e encontre

 

Abril 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

Pegadas Passadas

Os pequenos prazeres da v...

Regresso...

A palavra aos pioneiros

Para não deixar morrer

Renascimento do Blog - Ac...

Promessas 2007

Resultados

Talitha Kum

Rescaldo do Jantar Convív...

Convívio

Relíquias do Agrupamento

Abril 2008

Março 2008

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Links à maneira

Nº de Visitas

Comenta este blog

Livro de Visitas

Musicas Escutas

Contacto

se nos quiserem contactar para dar opiniões sobre o blog, para actividades conjuntas, etc... geral(at)agr1053(dot)cne-escutismo(dot)pt